sexta-feira, 13 de abril de 2012

Documentário retrata a violência antes mesmo da colonização no Brasil.




O documentário "Guerra sem fim" mostra a história da violência no Brasil, a presença da luta desde antes da chegada dos colonizadores, ou seja, uma constante na história nacional.

Mesmo antes da chegada dos europeus, as nações indígenas tinham a guerra no centro de suas culturas. São enfocados conflitos pouco conhecidos, massacres, e revistos fatos históricos à luz de um olhar crítico, que questiona a história oficial com argumentos e "insights."

O mito e o senso comum, segundo o qual o brasileiro é um homem cordial, está no debate, bem como a tese de que o país é um paraíso pacífico e abençoado por Deus. 

O documentário combina densidade de reflexão com uma linguagem dinâmica e acessível.


Grandes pensadores brasileiros, doutores em filosofia, psicologia, economia, história e sociologia, como Eduardo Gianneti, Olgária Mattos, Laura de Mello e Souza e Contardo Calligaris, ao lado de grandes protagonistas políticos, como Lula, Fernando Henrique Cardoso, Marina Silva e Soninha, e livres-pensadores egressos dos movimentos sociais, como Ferrez, Júnior do AfroReggae, João Pedro Stédile e Esmeralda Ortiz, analisam a realidade brasileira em pé de igualdade.


A história do país é revista, com um olhar crítico e ousado.


Com um ritmo dinâmico e trechos de animação, os episódios procuram levar audiências intelectualizadas e jovens sem grande formação intelectual, do mesmo modo, à reflexão.

Lutas.Doc é uma parceria da TV Brasil com a Gullane e Buriti Filmes.


Roteiro e Direção Daniel Augusto e Luiz Bolognesi.


Produção Caio Gullane, Fabiano Gullane, Laís Bodanzky e Renata Galvão




fonte: youtubeBuriti Filmes e Gullane.

Um comentário:

Paulo Avelino disse...

O documentário faz um esforço muito grande para fazer uma ponte entre a história e o que vemos hoje (através principalmente de imagens urbanas). Os depoimentos de políticos (Lula, FHC), ou de jornalistas claramente comprometidos com políticos (como Gilberto D) não acrescentam muito - um político por definição não fala do real - ele fala o que lhe é mais conveniente para manter ou recuperar o poder). No final, caiu no documentário clássico - professores em ambientes universitários ou históricos discorrendo - os talking heads.
Abraços,
blog Paulo Avelino
http://blog.paulo.avelino.nom.br

Postar um comentário