quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

O fim da vida.


terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Diretor volta a fazer filme com Smartphone e arrebenta com seu filme de terror.

Já postei três filmes do diretor Conrad Mess, o último na semana passada

Adoro o seu estilo de fazer cinema e contar uma história, principalmente porque ele usa o celular como sua ferramenta de trabalho.

Dessa vez ele fez um filme de terror, com uma pitada maravilhosa de comédia e com recheio saboroso de ação.

Já disse isso antes, o cara é bom.



Assista aos três filmes do Conrad Mess, vale demais essa experiência audiovisual.  
  1. The Asking Room 
  2. The Russian Roulette 
  3. The Fixer



sábado, 19 de janeiro de 2013

Fotos incríveis de animais.








sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Filme feito com um iPhone surpreende com uma história perturbadora.



Não é a primeira vez que o diretor Conrad Mess faz história com um filme produzido com baixíssimo custo e extrema criatividade. 

Tempos atrás, ele fez o curta-metragem The Fixer (já postado aqui no blog) que repercutiu demais nas redes sociais e em blogs de cinema. E o motivo do sucesso é simples: ele usa celular para fazer os seus filmes. 


THE FIXER. Clique aqui e assista o curta-metragem.


Além de dirigir, ele também escreve, produz e edita seus ótimos filmes. Mess é uma expiração para pessoas que querem fazer cinema, mas não sabem quais são suas reais possibilidades. 

Mas o diretor Conrad Mess tem três coisas que muitas pessoas que desejam fazer cinema não tem: criatividade, ideia e coragem.   

Nesse novo curta-metragem "THE ASKING ROOM" é cinema de gente grande. A cada segundo o filme surpreende com ótimos diálogos,  interpretação, movimento de câmera, edição, trilha sonora, linguagem...  

O curta participou do iPhone Film Festival.  Que é um festival de cinema de Smartphone que realmente premia a criatividade. 

Em "The Asking Room"  Conrad Mess mostra que ele pode ser o novo nome do cinema mundial.  É só ele estar no lugar certo, na hora certa e ter a sorte de ser descoberto por pessoas sérias.



Veja essa entrevista que ele deu para o site  smartmoviemaking.com  


E assista também o Making Of.

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

A dança mais linda do mundo.

Veja o vídeo sozinho, em tela cheia, no escuro e em silêncio.

E os que foram vistos dançando foram julgados insanos pelos que não conseguiam ouvir a música.
          Friedrich Nietzsche




Direção de Dingwall. 
Coreografia Yokoo Gibraan.
Musica: The Cinematic Orchestra – Arrival Of The Birds.

Qualidade de vida piorou em 2012 para 80% dos paulistanos.



Oito em cada dez paulistanos estão insatisfeitos com a qualidade de vida na cidade - o pior índice dos últimos quatro anos. É o que revela uma pesquisa divulgada pela Rede Nossa São Paulo, encomendada pela Oscip (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público) ao instituto Ibope.

Em 82% dos 169 itens avaliados, os entrevistados se disseram insatisfeitos; 28 receberam nota acima e dois permaneceram na média de avaliação.

Entre os 25 temas abrangidos, há aspectos objetivos como habitação, transporte, saúde, segurança e educação, por exemplo, e aspectos subjetivos como sexualidade, espiritualidade, aparência, consumo e lazer.

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Documentário explosivo sobre o trânsito no Brasil que mata mais que a guerra na Síria e Iraque.



Após uma bem-sucedida carreira nas salas de cinema, o documentário LUTO EM LUTA chega à internet por iniciativa do próprio diretor do filme, Pedro Serrano.

O documentário expõe, por meio de depoimentos de vítimas, familiares e imagens de acidentes, a tragédia diária do trânsito de São Paulo, que chega a matar todos os anos mais do que guerras e desastres naturais.

Ao buscar todas as facetas deste tema, o diretor ouviu especialistas em trânsito, médicos, psicanalistas, jornalistas, juristas, políticos e cidadãos comuns.

Entre os participantes do documentário destacam-se Ricardo Young, Gilberto Dimenstein, Heródoto Barbeiro, José Gregori, Floriano Pesaro e Rafael Baltresca, que perdeu a mãe e a irmã atropeladas e hoje segue na luta com o movimento Não Foi Acidente.

Considerado uma importante ferramenta para a conscientização sobre a caótica situação do trânsito em São Paulo, o documentário pode ser assistido gratuitamente e em sua versão integral no youtube.



Direção e Roteiro: Pedro Serrano

Produção: Pedro Serrano e Sophia Tess
Coordenação de Produção: Daniela Kern
Produção Executiva: Marco Silva
Direção de Fotografia: Ricardo Marques Kbça
Montagem: Pedro Serrano
Câmeras: Gege Portioli e Luiz Guimarães




sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Existem limites para o humor? Assista ao documentário O RISO DOS OUTROS e tire suas conclusões.



O que é o humor politicamente incorreto? Uma piada tem o poder de ofender?
São essas questões que o O Riso dos Outros discute a partir de entrevistas com personalidades como os humoristas Danilo Gentili e Rafinha Bastos, o cartunista Laerte e o deputado federal Jean Wyllys, entre outros.

O documentário mergulha no mundo do Stand Up Comedy para discutir esse limite tênue entre a comédia e a ofensa, entre o legal e aquilo que gera intermináveis discussões judiciais.

O filme foi dirigido por Pedro Arantes, diretor de séries de humor como "As Olívias", do canal Multishow, e "Vida de Estagiário", da TV Brasil. (YOUTUBE).
                                                                                     

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Documentário sobre Tecnologia Social: Cadeia Produtiva da Cajucultura.



Considera-se tecnologia social todo o produto, método, processo ou técnica, criado para solucionar algum tipo de problema social e que atenda aos quesitos de simplicidade, baixo custo, fácil aplicabilidade (e reaplicabilidade) e impacto social comprovado.
A Tecnologia Social normalmente une saberes populares e conhecimentos técnico-científicos. Entre os exemplos estão o soro caseiro e as cisternas do nordeste. Por ter abrangência e impacto social em grande escala, as tecnologias sociais são mais facilmente identificadas nas áreas de saneamento, alimentação, educação, energia, habitação, renda, saúde e meio-ambiente.





Durante os próximos dias vou postar uma série composta por 16 vídeos de até 10 minutos, que apresentam histórias de transformação social, nas comunidades participantes dos programas sociais da Fundação Banco do Brasil e de diversos parceiros.  Cada vídeo mostra uma experiência original nos temas: educação, renda, trabalho e melhoria na qualidade de vida de diversas comunidades.




O vídeo que postei ontem foi do programa Balde Cheio.

E o vídeo de hoje é sobre a Cadeia Produtiva da Cajucultura.

Na cadeia produtiva do caju o objetivo é incrementar a renda e propiciar melhoria nas condições de vida das famílias envolvidas. 

Isso é feito por meio de iniciativas que vão desde a melhoria dos índices de produtividade, beneficiamento, comercialização, investimento em assistência técnica, até a agregação de valor por meio da industrialização da castanha, da cajuína e de outros tipos de alimentos feito com a polpa da fruta.





terça-feira, 1 de janeiro de 2013

O que é tecnologia social? Série de 16 documentários explica essa técnica que une saberes populares e conhecimento técnico-científicos.



Considera-se tecnologia social todo o produto, método, processo ou técnica, criado para solucionar algum tipo de problema social e que atenda aos quesitos de simplicidade, baixo custo, fácil aplicabilidade (e reaplicabilidade) e impacto social comprovado.
A Tecnologia Social normalmente une saberes populares e conhecimentos técnico-científicos. Entre os exemplos estão o soro caseiro e as cisternas do nordeste. Por ter abrangência e impacto social em grande escala, as tecnologias sociais são mais facilmente identificadas nas áreas de saneamento, alimentação, educação, energia, habitação, renda, saúde e meio-ambiente.





Durante os próximos dias vou postar uma série composta por 16 vídeos de até 10 minutos, que apresentam histórias de transformação social, nas comunidades participantes dos programas sociais da Fundação Banco do Brasil e de diversos parceiros. 

Cada vídeo mostra uma experiência original nos temas: educação, renda, trabalho e melhoria na qualidade de vida de diversas comunidades.





O tema de hoje é a tecnologia social BALDE CHEIO.


Conheça no primeiro capitulo da série o projeto Balde Cheio, que tem como objetivo principal recuperar a importância da extensão rural como elo fundamental para o desenvolvimento rural sustentável, além de reduzir o êxodo rural e, até mesmo, promover condições para o retorno ao campo de familiares que foram para núcleos urbanos em busca da sobrevivência.




A proposta é passar ao produtor um pacote de conhecimentos e tecnologias que compreende técnicas de produção intensiva, como conservação e manejo do solo, rotação de pastagens, utilização de cana-de-açúcar e ureia no período de seca, exames nos animais, técnicas de silagem, irrigação e adubação de pastagem, dentre outras. Com isso, obtém se ganho significativo na produtividade, otimizando o espaço e utilizando técnicas simples e de baixo custo, aumentando, consequentemente, a margem de lucro do produtor.