sábado, 31 de março de 2012

Fotografia: artistas, gênios e etc.







sexta-feira, 30 de março de 2012

Exposição De Chirico: O Sentimento da Arquitetura



A cidade traduzindo a dimensão interior do homem moderno. A melancolia como sentimento da modernidade. Ou o cenário arquitetônico e as perspectivas inesperadas revelando o mundo onírico.
Figuras humanas, sem caras ou rostos, em completa solidão. Espaços vazios. Todo esse universo metafísico do artista Giorgio de Chirico (1888-1978) poderá ser agora visto no Museu de Arte de São Paulo (Masp), em São Paulo, até o dia 20 de maio.

A mostra De Chirico: o Sentimento da Arquitetura reúne 45 pinturas e onze esculturas que foram produzidas pelo artista entre os anos de 1960 e 1970, período de sua vida que foi chamado de metafísico, além de 66 litografias que foram produzidas em 1930. As obras pertencem ao acervo da Fondazione Giorgio e Isa de Chirico, sediada em Roma.

“Trata-se de uma exposição que repropõe uma leitura contemporânea da figura emblemática e da obra de Giorgio de Chirico. Uma das temáticas mais aprofundadas da pesquisa sobre De Chirico foi o sentimento como forma de entender a realidade”, disse à Agência Brasil a curadora e arquiteta italiana Maddalena d'Alfonso.

Segundo Maddalena, a metafísica é, na visão do artista, “a capacidade de olhar para a realidade como ela é e compreendê-la através da percepção física”. Ela explicou, citando como exemplo a memória de uma pessoa sobre um determinado lugar. “Quase nunca lembramos pormenores de uma arquitetura, mas sempre temos por perto a sensação que uma praça nos suscita. Nas obras de De Chirico, em suas praças, é exatamente isso que acontece: eles nos remete a composições de vazios, luzes e sombras e nos entrega um sentimento do espaço, nunca um lugar concreto”.



Segundo a curadora, as obras do artista, morto em 1978, têm a arquitetura como base. A criação dessa arte metafísica, ou seja, além do mundo físico, antecipou o movimento surrealista. “Ele foi o mestre da arte metafísica, que influenciou muitas pesquisas artísticas sobre a pintura no século passado e depois, a poética dos surrealistas”.

A exposição passou por Porto Alegre no final do ano passado. Depois do Masp, ela seguirá para Belo Horizonte. Mais informações sobre a exposição podem ser encontradas no site do Masp.


Fonte: Agência Brasil/Elaine Patricia Cruz

quinta-feira, 29 de março de 2012

Curta-metragem: Chapeuzinho Vermelho em clima de suspense e horror.



Inspirado livremente no conto de fadas o  'Chapeuzinho Vermelho' do escritor e poeta francês Charles Perrault, o curta-metragem RED dos diretores colombianos Jorge Jaramillo e Carlo Guillot, traz uma nova perspectiva sobre o conto clássico, através de elementos visuais e musicais para impor nesse drama uma forma de horror e suspense. 

Com base na animação tradicional de sombras, trabalhando com perfeição o vermelho e o negro, e dando-lhe então um realismo absurdo e brutal (mesmo para uma animação), RED impressiona como linguagem de cinema.  

A produção do filme foi feito quase que inteiramente pelos dois diretores e o músico/compositor Manuel Borda, que completou a história reforçando todas as emoções criada pelos diretores.

A opção de mostrar o conto clássico de Chapeuzinho Vermelho, como um conto mais escuro,  terrível e com um visual impressionante, torna esse curta-metragem perturbador e imperdível.

RED from RED on Vimeo.

quarta-feira, 28 de março de 2012

terça-feira, 27 de março de 2012

Assista ao curta-metragem canadense indicado ao Oscar na categoria de melhor animação.



O curta-animação 'Dimanche'  indicado ao Oscar 2012, é uma viagem de 9 minutos e cinquenta segundos, através da mente imaginativa de uma criança que é forçada a participar dos cultos da igreja (eu já passei por isso), em uma manhã preguiçosa de domingo. 


E sempre depois dos cultos passa o dia com os avós, embora essas visitas são bastante branda e previsível, a criança solitária cria suas próprias fantasias absurdas e mágicas ao longo do dia.

Há um pouco de crueldade animal presente nesse curta, o que é estranho, mas por outro lado é uma história interessante envolvendo trens gigantes, uma moeda e um urso azarado.



Essa mistura de linha em preto e branco, com pitadas de aquarela com seus tons suaves, quadrinhos  estilo europeu,  ilustrado de forma monótona e refletindo a paleta sombria da existência do menino, com certeza, fez com que o diretor Patrick Doyon conseguisse respeito logo nesse seu primeiro trabalho.

Esta fábula animada para toda a família mostra-nos quão importante é ver a vida através dos olhos de uma criança, mesmo em uma tarde de domingo cinzento.

O filme ganhou o prêmio de melhor curta-metragem no 'Festival de Berlim' e também recebeu uma indicação ao prêmio da Annie Awards, o 'Oscar' da animação.

O vencedor na categoria de melhor curta animação foi "The Fantastic Flying Books of Mr. Morris Lessmore" , que é uma celebração do poder de contar histórias, sem diálogos. Este curta-metragem já foi postado aqui no blog.


segunda-feira, 26 de março de 2012

sábado, 24 de março de 2012

Festival de Arte Digital 2012 recebe inscrições.



O Festival de Arte Digital – FAD se consolidou ao longo de suas edições como uma das maiores e mais importantes plataformas voltadas não apenas para a fruição, mas também para promover a reflexão da arte digital produzida em todo o mundo. Durante as 5 edições já realizadas passaram pelo FAD 220 artistas, vindos de 20 países. O processo de seleção dos trabalhos, para 2012, já está com inscrições abertas e os interessados tem até o dia 30 de abril para efetuarem a inscrição.

Desde sua última realização, em 2011, o FAD passou a definir um tema específico para cada edição. Sendo assim, o tema escolhido para este ano é Interfaces Relacionais. O festival busca artistas que estejam criando novas formas de interface e interatividade, passando ou não por um computador. 
Os trabalhos que estiverem dentro dessa temática terão prioridade na seleção, porém também serão aceitas obras que estejam ligadas a outras áreas da arte e tecnologia. 


Os artistas selecionados terão suas obras expostas durante todo o mês de setembro, Museu Inimá de Paula, em Belo Horizonte. As performances, oficinas e workshops e palestras que também passam por seleção via Edital, serão realizadas neste mesmo período.

A sexta edição do FAD é realizada por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura (Ministério da Cultura/Governo Federal), Lei Estadual de Incentivo à Cultura (Secretaria do Estado da Cultura de Minas Gerais) e da Lei Municipal de Incentivo à Cultura (Fundação Municipal de Cultura de Belo Horizonte).
Museu Inimá de Paula



Edital

Desde 05 de março, o FAD recebe inscrições de artistas do mundo inteiro que queiram apresentar seus trabalhos (ou ministrar oficinas e workshops) no Festival. Os interessados deverão acessar www.festivaldeartedigital.com.br, ler o edital e preencher o formulário digital. A inscrição, que será aceita somente através do site, é gratuita.

sexta-feira, 23 de março de 2012

A construção de uma imagem, por Cacá Diégues


A população do país precisa se dar conta da importância da Lei 12.485 para todos nós brasileiros. Essa lei, recentemente aprovada pelo Congresso, trata de conteúdo nacional nas televisões por assinatura. Mas não se trata de reivindicação corporativa, benefício exclusivo para a atividade que fabrica esse tipo de produto. Trata-se de exibir, nas telinhas brasileiras, sons e imagens do Brasil, num diálogo com o público que esteja à altura de nossas criatividade e diversidade, que seja um espelho de nossos costumes e, ao mesmo tempo, capaz de propor novos comportamentos para novos tempos.
Quando dizemos “sons e imagens”, estamos nos referindo a toda uma família do audiovisual da qual o cinema é apenas um avozinho que gerou descendência luminosa, da televisão aberta à internet, do DVD à televisão por assinatura. Além dos múltiplos novos formatos que ainda vêm por aí.

Poucos sabem que o cinema brasileiro é um dos mais antigos do mundo. A primeira sessão de cinema se deu no dia 28 de dezembro de 1895, num café de Paris. Em junho do ano seguinte, já se realizavam projeções, aqui mesmo no Rio de Janeiro, na rua do Ouvidor, as primeiras sessões de cinema na América Latina. Cerca de apenas um ano depois, um fotógrafo ítalo-brasileiro já estava filmando a entrada da Baia da Guanabara, realizando assim o primeiro filme sul-americano.

quinta-feira, 22 de março de 2012

Vídeo inspirado na abertura da série americana Modern Family.



Que gosta da série americana Modern Family (como eu) vai pirar no vídeo Frame of Mind que postei logo abaixo. Um vídeo curto, inteligente e engraçado.

Pra quem não conhece, a bem sucedida sitcom Modern Family mostra um olhar satírico de três famílias diferentes:

uma interracial;





um gay;


uma família convencional.



A série é filmada em estilo documentário/mockumentary, com as cenas dos personagens dirigindo-se à câmera e respondendo questões que intercalam suas vidas diárias. Às vezes é extremamente difícil dizer o quanto é improvisado, pois tem um estilo bastante moderno, de improviso e é super bem roteirizado.

Modern Family é um dos programas de TV mais consistentemente engraçadas que eu já vi. A  próxima temporada no canal Fox  vai começar dia 04/04/2012. Imperdível.

Agora veja a abertura da série (que tem um pouco mais de 10 segundos) e logo depois o vídeo Frame of Mind
No vídeo, os personagens “brincam” com uma moldura de quadro enquanto alteram as poses de dentro pra fora e de fora pra dentro. Não entendeu? Então veja os dois vídeos. 



Frame of Mind.


Frame of Mind from Steven Alan on Vimeo.

quarta-feira, 21 de março de 2012

Curta-animação habientado num universo futurista e pós-apocalíptico.

Com toda a nossa tecnologia, a humanidade vai finalmente chegar à paz e prosperidade? 
Ou vamos acabar nos destruindo?

ruin-animated-short-film

Ruin é um curta-metragem de animação absolutamente belo, com um roteiro simples e com ação de fazer o péssimo diretor Michael "Mão Pesada" Bay (que dirigiu Transformes, A ilha, Bad Boys e outras merdas) de queixo caído.

Dirigido pelo jovem e promissor Wes Ball, a história se passa num longínquo futuro pós-apocalíptico verde, onde a natureza recuperou a terra e arranha-céus estão abandonados.

Nosso principal protagonista descobre um dispositivo e, em seguida, é perseguido por um helicóptero ultra-moderno. 

O curta-animação Ruin não se propôs a criar nada de novo, ele fica com um conceito que todos nós conhecemos e amamos no gênero da ação. 
O filme todo é baseado em uma seqüência de perseguição em uma cidade em ruínas, o desenho da área e do personagem são bem realizados e o diretor conseguiu criar seu pequeno próprio mundo. 

Ruin conta com um trabalho de computação gráfica maravilhoso, edição e direção. Produzido em Los Angeles/EUA na produtora Oddball Animation, mais com a maioria da modelagem e animação feita pelo próprio diretor.


Os ambientes estão muito bem construídos, processado com um brilho quase foto-realistas. Este mundo de Ruin foi totalmente realizado sem diálogo, uma história contada através das texturas de edifícios em decomposição e com ferrugem no helicóptero futurista do inimigo que o persegue.

Um filme de 8,5 minutos enigmáticos, com uma cena de perseguição elegantemente coreografada, com movimentos de câmera e ângulos radicais.

O vídeo com apenas cinco dias nas redes sociais (Youtube e Vimeo) tornou-se um hit viral, sendo visto 500.000 vezes.


RUIN from OddBall Animation on Vimeo.

terça-feira, 20 de março de 2012

Curta-metragem de animação no melhor estilo road movie.



Esse road movie fantástico de animação se passa na vasta paisagem árida e de planície australiana de Nullarbor.
A planície de Nullarbor  é parte de uma área de terra plana, quase sem árvores, árida ou semi-árida ao norte do Grande Golfo Australiano.  
A palavra Nullarbor é derivada do latim nullus para ‘nada’ ou ‘ninguém’ e arbor para ‘árvore’.

Os diretores Patrick Sarell e Alister Lockhart  fizeram essa comédia Nullarbor com uma pitada de drama (ou vice versa),  e que fez um grande sucesso internacional em festivais de cinema.

É a história é sobre dois homens que se cruzam e travam uma batalha em seus veículos através de um longo trecho de estrada na Austrália. 
O desenvolvimento dos dois personagens lembra demais o desenho animado de Chuck Jones "Papa-Léguas e o Coiote"Mais também lembra a famosa fábula infantil: A tartaruga e a lebre.

O curta-metragem de animação  Nullarbor ganhou o prêmio de melhor animação no festival de cinema em Sydney, no Melbourne Film Fests e recebeu uma especial Prêmio do Júri no Palm Springs.





segunda-feira, 19 de março de 2012

Pornografia: Indústria pornô brasileira se reinventa para não morrer.


Em crise, indústria pornô se reinventa para não morrer.

O trabalho de garota de programa deixou de ser uma opção provável e se tornou uma necessidade para atrizes de filmes pornográficos que trabalham no Brasil.

Com a venda de DVDs pornôs em baixa, a indústria do sexo tenta se reiventar. O aumento da pirataria e o surgimento de novas opções para quem procura conteúdo sexual na rede - como as strippers virtuais - tirou mercado de atrizes e produtoras pornôs.

Mulheres com trabalhos comuns largaram tudo para faturar com shows interativos na web. Dizem ganhar até R$ 10 mil por mês, sem sair de casa ou ter contato físico com clientes. São encontradas às dezenas em salas de bate-papo e serviços de buscas.

Resultado: "Uma cena que valia R$ 1 mil hoje vale R$ 500. Não tem como aceitar. Não dá para se sustentar só com filme [pornô] no Brasil", diz a acompanhante Patricia Kimberly, 28, estrela de longas como "Aula de Sacanagem" e "Garotas do Boliche".

TORMENTA

No ano passado, a produtora mais famosa do país, a Brasileirinhas, chegou a divulgar uma nota desmentindo boatos de que estaria fechando. A empresa já trabalhou com celebridades como Leila Lopes (1959-2009), Alexandre Frota, Gretchen e Rita Cadillac.

Nos EUA, Steven Hirsch, fundador da gigante pornô Vivid Entertainment, criada em 1984, admite que o setor vive numa "tormenta perfeita".

"Queda na venda de DVDs, pirataria violenta, conteúdo gratuito e economia frágil... É o pior momento desta indústria em 25 anos", disse ao jornal norte-americano "USA Today".

"Por isso, muitas garotas começaram a fazer programa. O programa é garantido, todo dia", diz Patricia Kimberly.

"As produtoras estão parando porque este mercado [de DVDs] está acabando", diz Valter José, filósofo especialista em Kant e diretor de filmes pornôs. "Hoje, o formato do pornô no mundo inteiro já combina com a internet", explica.

Conseguir números precisos que contemplem o estado de espírito do mercado do pornô brasileiro não é tarefa fácil. Apesar da informalidade inerente à categoria, analistas que acompanham o setor há décadas veem uma transição clara entre a distribuição do conteúdo em mídias físicas (como DVD) para mídias virtuais.

"Os consumidores também se tornaram produtores", diz Maria Elvira Diaz-Benítez, autora de "Nas redes do sexo - Os bastidores do pornô brasileiro". Segundo a pesquisadora da Unicamp, a indústria dos DVDs "acabou", mas a pornografia segue forte no "front" virtual com outros personagens.

Caso de Anna Stripper, ex-gerente de loja formada em psicologia, que se sustenta exclusivamente de apresentações feitas por webcam.

"Com certeza ganho mais do que uma stripper de boate. E nunca precisei sair com nenhum cliente", jura.




FONTE: FOLHA/UOL



domingo, 18 de março de 2012

Quando o cinema criou coragem e enfrentou Freud.



A propósito de "Freud, além da alma", o crítico Luiz Zanin Oricchio — da Associação Brasileira de Críticos de Cinema, com formação nas áreas de filosofia e psicologia, editor do caderno de cultura de "O Estado de S. Paulo" — fez estes comentários:

Tocado pela aura de Freud, Huston tinha em mente um projeto ambicioso e convidou ninguém menos que o filósofo francês Jean-Paul Sartre para escrever o roteiro.

Freud contra Sartre

Sartre aceitou, demorou-se para entregar o texto e, quando o fez, este veio na forma de um calhamaço de centenas de páginas, definido por Huston como 'infilmável'. Sartre, ofendido, comentou que diretores de cinema 'ficavam tristes quando tinham de pensar'.

Dessa forma, o roteiro de 'Freud, além da alma' foi assinado [também] por Charles Kaufman e Wolfgang Reinhardt, que, pode-se dizer, fizeram um bom trabalho para Huston, fornecendo-lhe uma base sólida sobre a qual ele pudesse construir suas imagens. A dificuldade seria dar vivacidade a uma história que tira todo o seu encanto da vida interior dos personagens e não propriamente de acontecimentos trepidantes em termos de ação. Huston mostrou-se suficientemente lúcido para dar ao filme o tom de uma história de mistério, empolgante saga de conquista de um território desconhecido — metáfora utilizada com frequência pelo próprio Freud ao se referir ao inconsciente.


sábado, 17 de março de 2012

Concurso dá prêmio de 5 mil euros para o melhor projeto sustentável.



Se você gosta de desenho, é criativo e acredita que a arte pode ser sustentável, demonstre seu talento.
A Fundação Banco Santander, em colaboração com o Universia, te dá a oportunidade de ganhar até 5.000 euros e a participação de seu projeto em uma exposição artística. 

QUEM PODE PARTICIPAR

Estudantes maiores de idade (18 anos) de qualquer Universidade, Faculdade ou Escola de Ensino Superior, independente de sua nacionalidade. É requisito indispensável que os participantes estejam matriculados em um curso acadêmico no período 2011/2012.

REQUISITOS

Para participar é necessário ser usuário do Universia e se cadastrar. 
Poderá enviar no máximo 10 projetos (até 2 por categoria). Deverá completar uma ficha técnica explicando cada um dos projetos. Os demais requisitos dependem da categoria que pretende competir.

Serão selecionados os melhores projetos sustentáveis em cinco categorias: Espaços e Interiores; Industrial ou Produtos; Gráfico; Moda e Têxtil; e Digital. Os projetos apresentados ficarão disponíveis no site do concurso e o público pode votar nos seus preferidos.

Um júri da Fundação selecionará 6 obras entre as escolhidas pelos internautas – uma será a vencedora e levará 5 mil euros, e as outras cinco receberão uma menção honrosa.

As inscrições vão até 10 de maio de devem ser feitas pelo no site.


Fonte: Talentos Design

sexta-feira, 16 de março de 2012

(Documentário) Coca-Cola: A história de um ícone americano.



O documentário "Coca-Cola: The history of an american icon" (Coca-Cola: A história de um ícone americano) traça a história da bebida americana com a ajuda de fotografias raras, filmagem inédita e como a receita de John Pemberton  se tornou um símbolo potente da sociedade americana.


No mundo, nenhuma bebida de marca é vendida em tantos países ou em volume maior do que a Coca-Cola.
Logo no início do filme um dos personagens explica que a publicidade da Coca-Cola teria como objetivo fazer as pessoas se sentirem bem consigo mesmas e com seu país.
O que podemos ver nesse documentário (uma dica ótima para publicitários) sãos exemplos de anúncios que vivem em nossa memória, juntamente com outros que você nunca tenha visto antes. Quando eles são combinados ao longo dos anos, é fácil ver por que a Coca-Cola foi tão bem sucedida e vitoriosa, através da "guerra das colas".

A fórmula exata do refrigerante mais popular do planeta, sempre foi um segredo, desde que foi criado no laboratório de uma farmácia na Geórgia/Atlanta/EUA. Mas, como mostra a história, um ingrediente foi uma planta muito popular no continente sul-americano: a coca.

Através dos esforços do lobby influente do das bebidas alcólicas nos Estados Unidos, a coca foi colocado na lista de entorpecentes, bem como a sua composição, e então, a história da Coca-Cola foi alterada para sempre. Estes e outros fatos interessantes são apresentados neste documentário informativo, junto com filmes de arquivo, fotografias, ilustrações, anúncios memoráveis e entrevistas com a família Coca-Cola.


O espectador é levado em uma viagem divertida pela história da bebida mais consumida no mundo. Você não vai se decepcionar.

quinta-feira, 15 de março de 2012

Exposição 'São Paulo Mon Amour' mostra visão de artistas brasileiros e franceses sobre a megalópole



A cidade de São Paulo vista por artistas franceses e brasileiros. Essa é a proposta da exposição São Paulo Mon Amour, que começou dia 13/03/2012 e fica em cartaz até o dia 1º de abril, no Museu Brasileiro de Escultura (Mube), em São Paulo.

Museu Brasileiro de Escultura (Mube) 


“É uma exposição multimídia, de artistas franceses e brasileiros, sobre a cidade de São Paulo, de como eles sentem a cidade e de como vivem em uma megalópole”, explica Renata Junqueira, diretora de Relações Internacionais do Mube.


Segundo ela, a grande maioria dos artistas da exposição é ligada à arte urbana. São nove artistas que apresentam obras que já estiveram expostas em Paris e novos trabalhos produzidos durante residência artística em Montmartre, na França. Nesses trabalhos, os artistas refletem, entre outros temas, sobre a multidão e a solidão.

“[As obras abordam] A sensibilidade e a vivência da cidade, dentro desse caos que vivemos e do que ela desperta em cada um. Às vezes, é a sensação de uma energia pulsante, ou uma euforia, ou uma solidão profunda”, disse Renata. Entre as obras estão fotografias, vídeos, esculturas e pinturas. “[A exposição] É multifacetada e tem um quê de laboratório sensorial também”, definiu a diretora.

A exposição São Paulo Mon Amour também vai promover debates e ciclos de cinema relacionados ao tema. A exposição é gratuita. Mais informações podem ser encontradas no site http://mube.art.br

Fonte: Elaine Patricia Cruz Repórter da Agência Brasil
          Edição: Lana Cristina

terça-feira, 13 de março de 2012

Documentário: Da servidão moderna.


“De la servitude moderne” é um domentário com 52 minutos, teve o texto escrito na Jamaica em 2007 e edição finalizada na Colômbia em 2009, é distribuído gratuitamente em pontos alternativos da França e da América Latina e vem acompanhado de um livro que sustenta o conteúdo do vídeo.


O documentário "Da servidão moderna" desenvolve o conceito de "sistema mercantil totalitário", que é definida tanto pela ocupação de toda a vida social e íntima, mas também todo o espaço e sua submissão às mercadorias. É, portanto, o resultado de qualquer sistema totalitário, já que nada pode escapar a sua aderência. Enquanto isso, para esconder a nossa condição servil e demência de organização social como um todo, o fornecedor do sistema totalitário montou todo um aparato de mistificação.

A servidão moderna é uma escravidão voluntária, consentida pela multidão de escravos que se arrastam pela face da terra.Eles mesmos compram as mercadorias que os escravizam cada vez mais.Eles mesmos procuram um trabalho cada vez mais alienante que lhes é dado, se demonstram estar suficientemente domados.Eles mesmos escolhem os mestres a quem deverão servir. Para que esta tragédia absurda possa ter lugar, foi necessário tirar desta classe a consciência de sua exploração e de sua alienação. Aí está a estranha modernidade da nossa época.
Contrariamente aos escravos da antiguidade, aos servos da Idade média e aos operários das primeiras revoluções industriais, estamos hoje em dia frente a uma classe totalmente escravizada, só que não sabe, ou melhor, não quer saber.  Eles ignoram o que deveria ser a única e legítima reação dos explorados. Aceitam sem discutir a vida lamentável que se planejou para eles. A renúncia e a resignação são a fonte de sua desgraça.(França - Colômbia, 2009, 52min - Direção: Jean-François Brient) 

segunda-feira, 12 de março de 2012

Quando John Lennon fez propaganda de LSD na mídia impressa na década de 1970.

Você sempre quis uma mudança em sua vida?

Você estava esperando e economizando para fazer a viagem da sua vida?

Milhares de americanos estão usando LSD hoje, por que você não deveria ser um deles?





domingo, 11 de março de 2012

Google diz que Ecad não pode cobrar de blogs que utilizam vídeos do YouTube.



O Ecad (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição) não tem direito de cobrar por vídeos inseridos em blogs. É o que diz o Google, em nota divulgada no blog do YouTube.  Em 2010, o Google (dono do portal de vídeos desde 2006) começou a pagar pela execução musical, após fechar acordo com Ecad.

Mas a empresa manifestou "surpresa e apreensão" na "cobrança direta a usuários", segundo nota publicada nesta sexta (09/03/2012), com assinatura de Marcel Leonardi, diretor de políticas públicas e relações governamentais do Google Brasil.
"Em nossas negociações com o Ecad, tomamos um enorme cuidado para assegurar que nossos usuários poderiam inserir vídeos em seus sites sem interferência ou intimidação por parte do Ecad."

Responsável por cobrar pelas execuções públicas das músicas, o órgão esteve sob forte bombardeio nesta semana, quando veio à tona um comunicado enviado ao blog Caligrafitti --espécie de "fatura" (R$ 352,59 por mês) pelos direitos autorais de vídeos incorporados ao site de arte, design gráfico e fotografia.

Na internet, criou-se o site "Porra, Ecad", para protestar contra supostos abusos da entidade.
Vários usuários do Twitter também se manifestaram, quase sempre de forma zombeteira. A comediante Carol Zoccoli (@carolzoccoli), por exemplo, inventou uma falsa notícia para ironizar a situação: "Ecad vai cobrar de restaurantes os estômagos que estiverem roncando. Alegam que é uso indevido da voz de Elza Soares".


Carol Zoccoli

A entidade rebate que "nunca teve a intenção de cercear a liberdade na internet" e "não possui estratégia de cobrança de direitos autorais voltada a vídeos embedados".
O episódio do blog Caligrafitti seria "um fato isolado", decorrente de "erro de interpretação operacional".
O Ecad afirma que "desde 29 de fevereiro, as cobranças de webcasting estavam sendo reavaliadas e que o caso noticiado nos últimos dias ocorreu antes disso".

SEM RESPALDO LEGAL

A entidade não teria respaldo legal para cobrar por vídeos inseridos em sites de terceiros, diz o Google.
"Na prática, esses sites não hospedam nem transmitem qualquer conteúdo quando associam um vídeo do YouTube em seu site. [...] Como esses sites não estão executando nenhuma música, o Ecad não pode, dentro da lei, coletar qualquer pagamento sobre eles."

O Ecad diz que, por ora, não vai se manifestar sobre o assunto.

O Google também põe em xeque o que o órgão entende por "execução pública na internet". "Tratar qualquer disponibilidade ou referência a conteúdos on-line como uma execução pública é uma interpretação equivocada da Lei Brasileira de Direitos Autorais."

Na teoria, a atual legislação proíbe passar músicas do CD para o iPod ou fazer um podcast.

O governo elabora um polêmico projeto de lei para substituir esse texto.




fonte: UOL/Folha




sábado, 10 de março de 2012

Documentário obrigatório: Crianças consumidoras - A comercialização da infância.



O embrião do consumidor começa a se desenvolver no primeiro ano de existência. Crianças começam sua jornada de consumo na infância. E certamente merecem consideração como consumidores nesse período.  James U.McNeal - Pioneiro de Marketing Infantil (Kids as Customers - A Handbook of marketing to Children)


Esta citação acima inquietante que mostra descaradamente  a busca por um consumidor logo no inicio de sua vida, abre o documentário postado aqui no blog, que foi aclamado pela crítica e público em festivais de cinema "Crianças consumidoras: A Comercialização da Infância" (Consuming Kids: The Commercialization of Childhood). 

Produzido pela  Media Education Foundation (MEF) que fica localizada em Northampton/EUA,  escrito, dirigido, produzido e editado  pela dupla Adriana BarbaroJeremy Earp , mostra com detalhes as práticas cada vez mais descaradas do marketing da indústria multibilionária voltadas para as crianças nos EUA e no mundo. 

Com base nas percepções dos profissionais de saúde, defensores das crianças, e integrantes da indústria, o filme centra-se no crescimento explosivo do marketing infantil, na esteira da desregulamentação, mostrando como os comerciantes jovens têm usado os últimos avanços da psicologia, antropologia e neurociência para transformar crianças norte-americanas (e de outras parte do mundo, claro) em consumidores poderosos e rentáveis.



Eu estava sentando e assistindo esse ótimo documentário, sentindo o calor da raiva subindo em meu rosto e como eu aprendi como os comerciantes (marqueteiros sem alma) estão planejando 24 horas por dia como influenciar a minha filha (nossos filhos) a consumir os seus produtos. 

O filme revela que a publicidade voltada para os nossos filhos não é encontrado apenas na TV, também é encontrado no ônibus escolar, na sala de aula, nos telefones celulares, internet, filmes, e até mesmo em igrejas. É insidiosa!  

Consuming Kids , Sony TV

Oferecendo uma linha do tempo traçando a evolução e o impacto deste fenômeno sem precedentes, Consuming Kids: The Commercialization of Childhood, ilustra como a infância de crianças americanas (leia-se mundial) tornou-se comercializada, levantando questões urgentes sobre a ética do marketing infantil e seu impacto sobre a saúde e o bem-estar das crianças.

Clique e assista ao documentário completo com legendas em português. O filme tem apenas
66 minutos ou um pouco mais de uma hora. Vale muito ver esse documentário denuncia. 




fonte e agradecimentos: Docverdade

sexta-feira, 9 de março de 2012

Ainda cagando um montão.



Fonte: lancenet





quinta-feira, 8 de março de 2012

ECAD COBRA POR VÍDEOS EM BLOGS

Blogueiros recebem cobrança de R$ 350 por incorporarem vídeos do YouTube; Ecad diz que cobrança é legal.


O Ecad, escritório central de arrecadação e distribuição, quer receber pagamento de blogueiros. A organização começou a cobrar R$ 352 mensais de blogueiros que incorporam vídeos do YouTube em seus posts — a justificativa da entidade é que os vídeos são uma forma de “retransmissão musical” e, por isso, os donos de blogs precisam pagar direitos autorais.





A primeira a receber a cobrança foi Mariana Frioli, do blog A Leitora. Mariana estranhou quando recebeu, na semana passada, uma ligação de um estagiário do Ecad. Ela não havia fornecido seu celular a ninguém. Além disso, seu blog é pessoal e fala sobre suas próprias leituras. O estagiário explicou que a cobrança referia-se ao trailer do filme Delírios de Consumo de Becky Bloom e enviou por e-mail mais detalhes sobre a cobrança.
“Perguntei porque teria que pagar se eu não fiz upload e meu blog é pessoal. O rapaz disse que, de acordo com o Ecad, retransmissão tem que ser paga, independente do Ecad já ter recebido do YouTube”, conta Mariana.
No e-mail, o estagiário do Ecad enviou o “cadastro de mídias digitais”, um formulário que o Ecad usa para efetuar a cobrança.
“Identificamos a transmissão de seu site através de Webcasting, na categoria Institucional/Promocional de Entretenimento Geral. O valor mensal é de R$ 352,59 que corresponde a 7 UDAs (Unidade de Direito Autoral). Segue anexo o formulário para preenchimento. Por favor, nos devolver por e-mail preenchido, assinado e escaneado”, diz a mensagem. O formulário tem espaço até para os blogueiros fornecerem os dados de cobrança.
“Não existe nenhum trabalho de cobrança de direito autoral focado em blogs e sites, porém, todo usuário que executa música publicamente em site/blog ao ser captado pelo setor responsável do Ecad, pode receber um contato”, justifica a assessoria do escritório. “O blog foi captado em um trabalho rotineiro e recebeu o contato. Como dito anteriormente, caso haja execução pública musical, há obrigatoriedade do pagamento da retribuição autoral”, completa.



O formulário de cadastro: Ecad pede endereço de cobrança e data de vencimento.



Só que o Ecad já recebe direitos autorais de vídeos postados no YouTube. O escritório assinou, no ano passado, um acordo com o Google  para receber direitos por todos os vídeos musicais que circulam na plataforma.
“As diversas formas de utilização são independentes entre si, conforme preconiza a Lei de Direitos Autorais e, neste caso, o blog realiza uma retransmissão”, tenta justificar o órgão.
Segundo a assessoria, o Ecad está realizando um trabalho focado em “conscientização” para a necessidade de pagamentos de direitos autorais. Se os blogueiros contatados não pagarem, eles podem ser alvo de ação judicial. “Todo usuário que executa música publicamente em site ou blog ao ser captado pelo setor responsável do Ecad, pode receber um contato”, diz o escritório.
O jornal O Globo divulgou nesta quarta-feira, 7, que outro blog, o Caligraffiti, também recebeu uma cobrança do tipo.

fonte: Estadão