sábado, 31 de agosto de 2013

Curta-metragem: a triste realidade da razão pela qual não estamos vivendo o momento.

Assustador e obrigatório esse curta-metragem "I Forgot My Phone". 

Escrito e estrelado por Charlene Deguzman.
Dirigido por Miles Crawford. 




sábado, 24 de agosto de 2013

Imperdível: curta "The Flyng Man" mostra um vigilante com super poderes que desafia a lei usando extrema violência para combater o crime.

O diretor Marcus Alqueres (que também  co-escreveu e financiou o filme) está fazendo muito barulho nas redes sociais com esse excelente curta-metragem - "The Flyng Man" (O Homem Voador). 

Ele conseguiu encaixar um conceito de super-herói intrigante em menos de uma dúzia de minutos, em um obra muito bem produzida. 

Um personagem mascarado voando sobre uma cidade sem nome, e ao contrário da maioria das histórias de super-heróis, este é contado do ponto de vista dos cidadãos assustados.

O diretor trabalhou com um apertado orçamento, mesmo assim, Alqueres usa seus efeitos especiais (bem executado) com moderação e inteligencia. 

Grande parte do filme mostra clipes sobre este "novo vigilante" atacando pessoas, levantando-os no ar e soltando-os na frente de trens ou mesmo pegando um carro inteiro antes de liberá-lo em pleno ar. Na boa, não deixa de ser horrível, inquietante e assustador. 

Então as notícias deixam claro que esse vigilante está atacando apenas aqueles com antecedentes criminais - isso faz dele um herói brutal, com super poderes e que está executando pessoas violentamente.
"Desde o início eu não queria que os efeitos visuais fosse o centro das atenções", disse ele (Marcus Alqueres) em uma recente entrevista sobre o curta no site www.shortoftheweek.com. Eu queria usá-lo como uma ferramenta para ajudar a contar histórias que não podem ser contadas sem ele."
Nos últimos dias, O Homem Voador foi elogiado por vários sites e pessoas notáveis, incluindo o executivo chefe da Marvel, Joe Quesada.

Eu adoro um bom filme pipoca de super-heróis, mas eu adoraria ver esse conceito completamente sem precedentes para um thriller psicológico adaptado para um longa-metragem.

Veja esse curta e se surpreenda com o talento do brasileiro Marcus Alqueres.

Ah! Não esqueça de ativar a legenda em português.



Se quiser assistir direto no canal do YOUTUBE, cliquei aqui. 

Vimeo é a sua praia? Então, clique aqui.

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Imperdível: 70 segundos de Scarlett Johansson




Setenta segundos de Scarlet Johansson, num ensaio fotográfico que Cliff Watts fez para a revista Cosmopolitan.

terça-feira, 20 de agosto de 2013

O umbigo de Lula. Fotógrafo João Bittar fala sobre a icônica imagem


"Foi em Poços de Caldas, 25 de abril de 1979, no encontro nacional de metalúrgicos, que estava sendo realizado em um hotel da cidade. 

Nesse encontro, que durou uns 4 dias, estavam todos os personagens da cena sindical brasileira naquele momento, que era um momento de abertura política, e o Lula, evidentemente, era o principal personagem. Não só o personagem do encontro, como o meu personagem. (...) Ele me desafiou. Levantou a camiseta, apontou o umbigo e falou: Fotografa! 

Mas antes dele falar 'fotografa' eu já tinha fotografado".

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

O custo secreto dos hambúrgueres.


Os norte-americanos amam hambúrgueres – cada habitante dos EUA come uma média de três hambúrgueres por semana. Mas quais são os custos secretos desse consumo? Acontece que o gado cria uma quantidade de poluição que contribui para o efeito estufa tanto quanto carros, aviões e outros meios de transporte. Eles também têm um forte impacto ambiental sobre a terra e a água do planeta. Como é possível reduzir esse impacto? 

Saiba mais neste curta de animação "O custo secreto dos hambúrgueres" do Center for Investigative Reporting.


 

Para assistir com legendas em português, clique em "Ativar legendas".

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

(Documentário) Desculpe, mas isso é muito bom - o orgasmo feminino.

A revolução sexual da década de 70 permitiu que as mulheres reivindicasse o seu direito ao prazer e conhecer melhor seu corpo, o seu direito de prazer no quarto e pela primeira vez em discussões públicas. 

No entanto, mais de 40 anos depois, o orgasmo feminino permanece um mistério para muitas pessoas - mulheres e homens também, claro. 

Acho que maioria das pessoas que gostam de cinema se lembram daquela cena no filme "Harry & Sally - Feitos um Para o Outro" com a atriz Meg Ryan gemendo de prazer numa lanchonete com muitos clientes na cidade de Nova York. No filme obviamente ela está fingindo. Mas o esforço da atriz Meg Ryan para mostrar como é possível mulheres com capacidade de confundir ou enganar os seus homens a acreditar que elas realmente estão tendo orgasmo é uma faca de dois gomes quando isso acontece na vida real.  

Bom, no entanto, estamos agora 40 anos desde que a revolução e para muitos o início e a ocorrência de orgasmo feminino permanece um mistério total.

O filme "The Female Orgasm Explained" é simplesmente uma delicia de assistir. 
Uma pena que não tem legendas em português esse filme. 

Caso queira ver direto no canal do youtube, clique aqui.


quarta-feira, 14 de agosto de 2013

A paz precisa de sangue.

Naruna Costa recitando DA PAZ de Marcelino Freire

Trecho do Filme Curta Saraus




"Eu não sou da paz. 
Não sou mesmo não.
Não sou.
Paz é coisa de rico. 
Não visto camiseta nenhuma, não, senhor. 
Não solto pomba nenhuma, não, senhor. 
Não venha me pedir para eu chorar mais. 
Secou. 
A paz é uma desgraça.
Uma desgraça. 
Carregar essa rosa. Boba na mão. Nada a ver. Vou não. 
Não vou fazer essa cara. Chapada. Não vou rezar. 
Eu é que não vou tomar a praça. Nessa multidão. 
A paz não resolve nada. 
A paz marcha. Para onde marcha? 
A paz fica bonita na televisão.
Viu aquela atriz do trio elétrico?
Aquele ator? 
Se quiser, vá você, diacho.
Eu é que não vou. Atirar uma lágrima. 
A paz é muito organizada. Muito certinha, tadinha.
A paz tem hora marcada. 
Vem governador participar. E prefeito. E senador. E até jogador. 
Vou não. 
Não vou. 
A paz é perda de tempo.
E o tanto que eu tenho para fazer hoje. Arroz e feijão. Arroz e feijão. 
Sem contar a costura. 
Meu juízo não está bom. 
A paz me deixa doente.
Sabe como é? Sem disposição. 
Sinto muito. Sinto. 
A paz não vai estragar o meu domingo. 
A paz nunca vem aqui, no pedaço. 
Reparou? Fica lá.
Está vendo? 
Um bando de gente. Dentro dessa fila demente.
A paz é muito chata. 
A paz é uma bosta. 
Não fede nem cheira. 
A paz parece brincadeira. 
A paz é coisa de criança. 
Tá uma coisa que eu não gosto: esperança. 
A paz é muito falsa. 
A paz é uma senhora. Que nunca olhou na minha cara. 
Sabe a madame? 
A paz não mora no meu tanque. 
A paz é muito branca. 
A paz é pálida. 
A paz precisa de sangue. 
Já disse.
Não quero. Não vou a nenhum passeio. A nenhuma passeata.
Não saio. Não movo uma palha. Nem morta.
Nem que a paz venha aqui bater na minha porta.
Eu não abro. 
Eu não deixo entrar.
A paz está proibida. 
A paz só aparece nessas horas. 
Em que a guerra é transferida. 
Viu? 
Agora é que a cidade se organiza. 
Para salvar a pele de quem? 
A minha é que não é. 
Rezar nesse inferno eu já rezo. Amém. 
Eu é que não vou acompanhar andor de ninguém.
Não vou. Não vou. 
Sabe de uma coisa: eles que se lasquem.
É.
Eles que caminhem. A tarde inteira. Porque eu já cansei. 
Eu não tenho mais paciência. Não tenho. 
A paz parece que está rindo de mim. Reparou? 
Com todos os terços. 
Com todos os nervos. 
Dentes estridentes. Reparou? 
Vou fazer mais o quê, hein? 
Hein? 
Quem vai ressuscitar meu filho, o Joaquim? 
Eu é que não vou levar a foto do menino para ficar exibindo lá embaixo. 
Carregando na avenida a minha ferida. 
Marchar não vou, ao lado de polícia. 
Toda vez que vejo a foto do Joaquim, dá um nó. 
Uma saudade. Sabe? 
Uma dor na vista. 
Um cisco no peito. 
Sem fim. 
Ai que dor! 
Dor. Dor. Dor. 
A minha vontade é sair gritando. Urrando. Soltando tiro. Juro. Meu Jesus! 
Matando todo mundo. É. Todo mundo.
Eu matava, pode ter certeza.
A paz é que é culpada. Sabe, não sabe? 
A paz é que não deixa."

terça-feira, 13 de agosto de 2013

Documentário desvenda mulheres que tem cem orgasmos por dia

Síndrome de Excitação Sexual Persistente (PSAS) é uma doença neurológica pouco compreendida, onde as mulheres sofrem de excitação genital incontrolável constante. Ele não está relacionado com todos os sentimentos de desejo sexual. 

Foi documentado pela primeira vez pelo Dr. Sandra Leiblum em 2001, caracteriza-se recentemente como uma síndrome distinta na literatura médica.

Alguns médicos utilizam o termo Síndrome de Excitação Sexual Persistente (PSAS) para se referir à condição em mulheres; outros consideram a síndrome de priapismo em homens com a mesma doença. Em particular, não está relacionada com a hipersexualidade, também conhecido como ninfomania ou satiríase. 

Hipersexualidade, ninfomania e satiríase também não são reconhecidos condições médicas diagnosticáveis​​. 

Além de ser muito raro, a condição também é frequentemente declarada pelos doentes que podem considerar vergonhoso ou constrangedor.

Excitação física causada pela síndrome pode ser muito intensa e persistir por períodos prolongados, dias ou semanas. Orgasmo às vezes pode proporcionar um alívio temporário, mas em poucas horas os sintomas retornam. 

Algumas situações, como andar em um automóvel ou de ônibus,  vibrações de telefones celulares ou até mesmo ir ao banheiro pode agravar a síndrome. 

O documentário "A hundred Orgasma a Day" (Cem orgasmos por dia) conta a história de três mulheres que eram atormentados por horas, todos os dias com a necessidade de ter orgasmo. 

Uma pena que não tem legenda em português esse ótimo documentário.

sábado, 10 de agosto de 2013

Veja a lista dos dez melhores documentários sobre sexo.

Vou postar links dos dez melhores documentários sobre sexo (e nem todos são fáceis de ingerir) que cobrem uma ampla gama de assuntos. 
Do olhar para questões de sexo entre adolescentes, de homens que optaram por viver com boneca sexual em vez de mulheres de verdade ou o comércio internacional do sexo infantil. Esses filmes abaixo tocam em assuntos sensíveis, engraçados, reflexivos e as vezes muito triste. 

Os filmes estão todos em seu idioma original, mas muitos tem a legenda disponível no opensubtitles.org. 
Coloquei links do Youtube, mas também tem como baixar esses filmes em sites de documentários.

Mantenha a mente aberta para a ciência e as realidades desses documentários. 

1. "The Big O." No topo da lista dos melhores documentários de sexo, o filme tem um olhar informativo, divertido e intimista sobre o orgasmo feminino. 

A diretora Michaline Babich  segue uma mulher em busca do seu primeiro orgasmo. Uma vez considerado um mito, o orgasmo feminino é analisado em profundidade neste filme.


2."Love in the Ancient World". Este documentário do  canal History examina os símbolos deixados por civilizações de tempos passados ​​e sua relação com o sexo e seu significado em suas sociedades. 

O filme mostra o mais antigo bordel do mundo que foi descoberto em Pompéia. Um sistema surpreendente é revelado que inclui a prostituição generalizada e escravidão sexual. Especialistas mostram como funcionava o sistema do comércio sexual e como isso ajudou a reforçar o poder na Roma Antiga.

3."Sex Slaves" (Escravas sexuais). Este documentário mostra com pungência o comércio do sexo no Leste Europeu e do norte da Asia. O filme mostra meninas reais que foram vendidas e os homens que as compram. 
O diretor Dugald Maudsley vai nas profundezas do inferno para mostrar as escravas do sexo.

4."Brain Sex - Why We Fall in Love". Durante séculos, o amor tem sido usado principalmente por poetas, artistas e em baladas. Neste documentário, o mistério e a magia do amor serão analisados ​​com a ajuda da ciência moderna. Aqui vamos encontrar uma visão profunda sobre este sentimento especial, graças à ajuda de alguns casais voluntários e do uso de técnicas modernas de digitalização cerebrais. Ao final, vamos perceber que o amor está basicamente dentro de nossa cabeça.




5."Sex Change Hospital". O filme olha para as pessoas que optam por uma cirurgia de mudança de sexo em um hospital particular.




6."The Nature of Sex" (A natureza do Sexo). Pássaros, abelhas e até mesmo cracas e ratos-toupeira pelados são levados a unir forças para se reproduzir e passar adiante seus genes para a próxima geração. The Nature of Sex abrange todo o globo para ilustrar como uma espantosa diversidade de formas de vida encontra seus companheiros para conceber, criar e proteger sua prole .  




7."Virgin School" (Escola de virgem). Esse documentário segue a jornada emocional e física de um rapaz virgem de 26 anos. Ele embarca em um único curso de quatro meses para os homens sexualmente inexperientes em Amsterdam. O curso é projetado para aumentar sua confiança sexual.
De acordo com um estudo recente (pela Radio 1, MTV e Durex), a grande maioria das pessoas perdem a virgindade entre as idades de 16 e 18. No entanto, há uma pequena parte da sociedade que permanecem virgens bem na meia-idade. James é um deles, o rapaz nunca sequer chegou à primeira base. 


8."The Day My God Died". Este documentário triste e deprimente (realmente é de cortar o coração) mostra a exploração sexual das crianças e adolescentes de Bombaim ou Mumbai (Índia) e no Nepal. 
Um olhar inesquecível sobre várias meninas, cujas vidas são esmagadas pelo comércio do sexo infantil.
O cineasta Andrew Levine segue a jornada de meninas vendidas, e nos mostra imagens reais de dentro dos bordéis de Mumbai, conhecida até mesmo para os turistas como "as gaiolas". Imagens essas capturadas com "câmera espiã".
Em Mumbai, acontecem 90 novos casos de infecção pelo HIV a cada hora, e as vítimas são cada vez mais jovens: há duas décadas, a maioria das mulheres em bordéis da Índia estavam em seus vinte ou trinta anos. Hoje, a idade média é de 14. 
The Day My God Died (O Dia Que Meu Deus Morreu) coloca um rosto humano sobre esses números abstratos, pois narra as histórias de várias meninas que foram forçadas para o comércio internacional do sexo infantil e escravo.
O documentário foi narrado pelo ator americano Tim Robbins e pela atriz americana Winona Ryder.   




9."Guys and Dolls". Os homens documentados no filme optaram por viver e amar bonecas de silicone em vez das mulheres de verdade. Esse documentário é engraçado, porém, nos faz refletir apenas uma coisa: nós não sabemos o limite ou a loucura 


10."Virtual Adultery and Cyberspace Love". (Adultério Virtual e Amor Cyberspace). Completando a lista dos melhores documentários sobre sexo, esse filme examina pessoas que tem uma vida de romance e traição no mundo virtual  do Second Life.

Vou postar apenas o link do primeiro capitulo, depois é só procurar os outros três no Youtube. Estão todos disponíveis no canal. 



sexta-feira, 9 de agosto de 2013

O que aconteceu com nosso sonho de liberdade? Documentário da BBC faz um exame sensível das idéias de liberdade.


The Trap: What Happened to Our Dream of Freedom (A Armadilha: O Que Aconteceu com Nosso Sonho de Liberdade) é uma série de documentários produzidos pela BBC inglesa, dirigido e escrito por Adam Curtis, bem conhecido por outros documentários incluindo "The Century of the Self" (O Século do Ego) e "The Power of Nightmares" (O Poder dos Pesadelos). 

A série consiste em três programas de 1 hora cada que exploram o conceito e definição de liberdade. Abaixo está os links e as janelas para ver todo a série que é imperdível.

A liberdade individual é o sonho de nossa época. É a promessa mais contundente de nossos políticos (principalmente dos países ocidentais) , mas que ao mesmo tempo define a forma de como pensamos sobre nós mesmos e, repetidamente, temos ido para a guerra para impor a liberdade ao redor do mundo. 

Mas se você voltar atrás e olhar para o que a liberdade realmente significa para nós, hoje, é um tipo estranho e limitado de liberdade.

Os políticos prometeram libertar-nos da velha mão morta da burocracia, mas eles criaram um sistema cada vez mais com controle da gestão social, impulsionada por metas e números. 

Os governos comprometidos com a liberdade de escolha que presidiu um aumento da desigualdade e um colapso dramático na mobilidade social. E no exterior, no Iraque e no Afeganistão, a tentativa de impor a liberdade levou a guerras sangrentas, o caos e a ascensão de um autoritário islamismo anti-democrático. Este, por sua vez, ajudou a inspirar ataques terroristas na Grã-Bretanha. Em resposta, o governo desmantelou leis de longa duração destinados a proteger a nossa liberdade.

Durante a série vocês verão depoimento matemáticos, biólogos genéticos, antropólogos, psiquiatras e economistas radicais de livre mercado, que passaram a dominar tanto o pensamento político desde os anos setenta e a forma como as pessoas pensam sobre si mesmos como seres humanos.

No entanto, dentro dessa ideia simplista lançar as sementes de novas formas de controle. E o que as pessoas se esqueceram é que há outras idéias de liberdade. Estamos, diz Curtis, em uma armadilha de nossa própria fabricação que nos controla, nos priva de significado e causa a morte e caos no exterior.

Há muita coisa para falar, mas tudo o que eu diria é que, você precisa vê-lo.

Naturalmente, o que soa como um assunto que pode parecer chato para alguns no papel, é perfeitamente documentando por Curtis. 



Para ativar a legenda clique em CC.



Episódio 02. BBC A Armadilha: O Que Aconteceu com Nosso Sonho de Liberdade 
-  O Robot Solitário



Para ativar a legenda clique em CC.



Episódio 03. BBC A Armadilha: O Que Aconteceu com Nosso Sonho de Liberdade -
Forçar-te-emos a ser Livre



Para ativar a legenda clique em CC.




Clique aqui e assista direto no canal do YOUTUBE o episódio 02A Armadilha: O Que Aconteceu com Nosso Sonho de Liberdade -  O Robot Solitário

Clique aqui e assista direto no canal do YOUTUBE o episódio 03A Armadilha: O Que Aconteceu com Nosso Sonho de Liberdade - Forçar-te-emos a ser Livre

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Como a mídia brasileira sufoca a liberdade de expressão

Vídeo fundamental para entender de uma vez por todas como a oligarquia midiática destrói um dos nossos direitos fundamentais, que é o direito à comunicação. 

Didático, a matéria mostra que a concentração dos grandes veículos de comunicação na mão de poucas famílias beira a monarquia, já que o poder é transmitido de pai para filho. 

Em pleno século XXI, é vergonhoso para o Brasil que a pornográfica distribuição de concessões de rádios e TVs feitas por (e para) políticos e empresários picaretas no século passado ainda renda esse atraso monstruoso da mídia que, a despeito da sua milionária estrutura física e técnica, faz jorrar todos os dias uma programação de péssima qualidade para os brasileiros. 

E quando alguém ousa "competir" com esse poder midiático (montando, por exemplo, uma rádio comunitária), eis que todo o poder constituído se une (oligarcas da mídia, políticos, governos, ANATEL, polícia, Justiça etc.) para confiscar, prender, multar e processar aquele que cometeu o crime de tentar - como faz a poderosa mídia - se comunicar de forma eficaz com os seus iguais. 

E como mudar tal estrutura se a maioria dos políticos e empresários tem interesse direto ou indireto em deixar tudo do jeito que está? Digo "direto" porque muitos políticos são privilegiados donos de rádios e TVs - e foi exatamente por causa disto que conseguiram se eleger; e digo "indireto" porque a outra parcela de políticos (os que não são donos de veículos de comunicação), certamente recebem apoio daqueles que detém o "poder midiático". 

Este vídeo foi postado originalmente com o nome "Levante a Sua Voz". Eis o crédito do mesmo: Vídeo produzido pelo Intervozes Coletivo Brasil de Comunicação Social com o apoio da Fundação Friedrich Ebert Stiftung remonta o curta ILHA DAS FLORES de Jorge Furtado com a temática do direito à comunicação. 

A obra faz um retrato da concentração dos meios de comunicação existente no Brasil. 




Roteiro, direção e edição: Pedro Ekman.
Produção executiva e produção de elenco: Daniele Ricieri. 
Direção de Fotografia e câmera: Thomas Miguez.
Direção de Arte: Anna Luiza Marques.
Produção de Locação: Diogo Moyses.
Produção de Arte: Bia Barbosa.
Pesquisa de imagens: Miriam Duenhas.
Pesquisa de vídeos: Natália Rodrigues.
Animações: Pedro Ekman. 
Voz: José Rubens Chachá.

Fonte: youtube 

terça-feira, 6 de agosto de 2013

Os cinco melhores filmes do primeiro semestre de 2013 segundo o crítico André Setaro


Os cinco melhores filmes do primeiro semestre de 2013 por André Setaro.


1.) CÉSAR DEVE MORRER (Cesare deve morire), de Paolo e Vittorio Taviani

De longe, e com louvor, o melhor filme do semestre de 2013, este César deve morrer, dos octogenários fratelli italianos Paolo e Vittorio. 

Vencedor do Urso de Ouro do Festival de Berlim em 2012, uma obra que confirma a insólita potencialidade estética e a intensidade dramática desses irmãos quase siameses na coerência de pensamento e senso extraordinário da força da mise-em-scène. 

Ainda que não proclamados como deveriam, pois cineastas de gênio, os Tavianis podem ser distinguidos entre os grandes realizadores italianos de todos os tempos. Para isso, basta ver, Aconteceu na primavera (Fiorile), o melhor de todos, Pai Patrão, A noite de São Lourenço, entre outras pérolas. Geralmente, ao sair de uma projeção de um filme dos Tavianis, o impacto se prolonga fora da sala de projeção.

Desta vez, um docudrama, cuja ação se localiza numa grande, imensa prisão, onde prisioneiros acompanham a montagem de Júlio César, de William Shakespeare. Os pontos temáticos giram em torno dos liames tênues entre a vida e a arte, realidade e encenação. Uma explosão de talento poucas vezes observada no cinema contemporâneo.

2.) VOCÊS AINDA NÃO VIRAM NADA (Vous n’avez encore rien vu), de Alain Resnais. Também aqui, neste último filme do autor de O ano passado em Marienbad, uma obra de um realizador mais velho ainda que os Taviani, que ultrapassou a década de 90, mas que continua em franca atividade e em franca inovação. 

O jogo e a representação do jogo. Será que os melhores filmes do cinema contemporâneo estão sendo realizados por cineastas do pretérito? Pelo menos, os dois melhores do semestre em curso são de autoria de dois, por assim dizer, anciães.

Morre um famoso dramaturgo e os atores, que atuaram em diferentes versões de sua peça teatral Eurídice, são comunicados que o autor, em testamento, pede que todos avaliem uma nova versão de Eurídice encenada por uma companhia de teatro. Sérgio Alpendre em sua Revista Interlúdio foi quem matou a charada resnaisiana: " O jogo é esse. 

Sabemos que a representação não acontece senão em suas mentes, pois vemos os atores, por vezes, assistindo à peça filmada com atenção. Suas projeções é que representam novamente a peça, montam cenários, controlam a luz e, por intervenção de Resnais, têm a tela dividida em dois (e até quatro, num momento).  Esse efeito não é gratuito. É parte da estratégia do filme lidar com a inegável herança teatral do cinema, e como tal, pensar em como o avanço da técnica não conseguiu anular ou enfraquecer o princípio básico que rege o cinema: a encenação. Temos assim diversas encenações diferentes. 

A encenação de Antoine, que na verdade finge sua morte; a encenação filmada que os atores veem; as encenações que esses atores projetam e a encenação de Resnais, cuja função primordial é promover a fusão de todas as encenações existentes."

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Documentário explosivo mostra dez passos de como ganhar dinheiro com drogas.



Com uma série de entrevistas com os traficantes de drogas, funcionários prisionais, artistas de Hollywood e lobistas defendendo leis mais duras contra as drogas, o documentário "How to Make Money Selling Drugs" mostra como essa industria jamais parou de crescer.

O filme mostra com irreverência e sensibilidade como se estrutura todo o comércio de drogas ilícitas, desde o traficante peão que trabalha nas esquinas, passando pelos vários níveis de poder até chegar ao dono do Cartel de um país produtor, onde um garoto de 12 anos pode ganhar mil dólares por dia e um chefe regional com 30 anos de idade pode ganhar mais de um milhão. 

Mas o documentário também mostra as diversas facetas por trás da chamada "Guerra Contra as Drogas", desde a sua criação (lei Rockfeller) relacionando-a com o racismo e a influência que cada político teria junto a seu eleitorado e à mídia.

Passa também pela coação policial, que a cada dia vê seu orçamento e violência de atuação aumentarem, juntamente com o população carcerária dos EUA, que hoje representa 25% dos presos do mundo, num país que se autoproclama terra da liberdade. 

O que se gasta no EUA com prisões, é muito mais do que se gasta em ensino universitário.

Enquanto isso, 50% da população estadunidense consome pelo menos algum tipo de droga ilícita, sem quase nenhum tipo de suporte na educação, tratamento ou prevenção, mostrando que o Governo pouco se importa com a saúde, mas usa o discurso hipócrita para ganhar votos.

A quem mais se interessaria em que as drogas continuem proibidas? Aos traficantes ou agentes públicos corruptos. (docverdade)

Download:

Para assisti-lo agora, clique aqui


Se quiser assistir em HD, clique aqui


Veja o trailer


quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Documentário sobre histórias de prostituição em várias partes do mundo.


O documentário "Whore’s Glorygira em torno das vidas e esperanças individuais, necessidades e experiências das mulheres. 

Este tríptico filme lida com as prostitutas da Tailândia, México e Bangladesh. As histórias são sobre anseios, experiências, esperanças, necessidades e principalmente sobre as brutalidades que essas mulheres convivem.

A premissa do filme é que essas mulheres podem nos dizer mais sobre as relações entre homens e mulheres do que qualquer outra pessoa.

O filme levou o prêmio especial do juri Orizzonti e a La Bieannale di Venezia. 

"Whore’s Glory" é a terceira e última parte de “globalization-documentaries” (documentários sobre globalização) de Michael Glawogger, sendo os outros Megacities and Workingman’s Death.

Veja o trailer.