sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Filme feito com um iPhone surpreende com uma história perturbadora.



Não é a primeira vez que o diretor Conrad Mess faz história com um filme produzido com baixíssimo custo e extrema criatividade. 

Tempos atrás, ele fez o curta-metragem The Fixer (já postado aqui no blog) que repercutiu demais nas redes sociais e em blogs de cinema. E o motivo do sucesso é simples: ele usa celular para fazer os seus filmes. 


THE FIXER. Clique aqui e assista o curta-metragem.


Além de dirigir, ele também escreve, produz e edita seus ótimos filmes. Mess é uma expiração para pessoas que querem fazer cinema, mas não sabem quais são suas reais possibilidades. 

Mas o diretor Conrad Mess tem três coisas que muitas pessoas que desejam fazer cinema não tem: criatividade, ideia e coragem.   

Nesse novo curta-metragem "THE ASKING ROOM" é cinema de gente grande. A cada segundo o filme surpreende com ótimos diálogos,  interpretação, movimento de câmera, edição, trilha sonora, linguagem...  

O curta participou do iPhone Film Festival.  Que é um festival de cinema de Smartphone que realmente premia a criatividade. 

Em "The Asking Room"  Conrad Mess mostra que ele pode ser o novo nome do cinema mundial.  É só ele estar no lugar certo, na hora certa e ter a sorte de ser descoberto por pessoas sérias.



Veja essa entrevista que ele deu para o site  smartmoviemaking.com  


E assista também o Making Of.

Um comentário:

Paulo Avelino disse...

Esse diretor sabe realmente contar uma história. Ele prova que até nos EUA há gente com espírito de pobre, quer dizer, que não tem muito dinheiro e que usa meios relativamente baratos para filmar, compensando com criatividade os $$$ que faltam.

O filme dá duas viradas no decorrer de menos de cinco minutos. Excelente.

Espero que ele continue filmando no “Alternativo”, e que faça sucesso nesse meio. Detestaria vê-lo estufado de dólares e filmando estupidezes de Meg Ryan ou Chuck Norris ou sei lá quem.

Claro que talvez ele não pense assim!...

Abraços, Paulo Avelino
http://amhitar.blogspot.com.br

Postar um comentário